Jorge Sampaio não se arrepende das críticas à bandeirinha

Afirmando perplexidade com a proporção tomada após declaração contra a assistente Márcia Bezerra, que deixou de marcar um gol legítimo do Vitória, o vice-presidente executivo do clube, Jorge Sampaio, disse que não modificaria em nada seu “desabafo contra os sucessivos erros da arbitragem”.

Segundo Jorge Sampaio, o polêmico depoimento de que “mulher tem que apitar e bandeirar jogo de mulher”, responsável por toda a repercussão gerada, não representa nenhuma carga de preconceito contra o sexo feminino.

“Mantenho ao pé da letra aquilo que afirmei. Mas, não acho que tenha qualquer preconceito na frase. Afinal de contas, estou apenas exigindo que haja uma equivalência nos esportes praticados e apitados. Homens apitam jogos de homens e mulheres de mulheres. Se isso é ser preconceituoso, estou sendo para os dois lados”, disse Sampaio.

Questionado sobre a competência da bandeirinha, que desde o início deste ano integra o quadro da Fifa, o dirigente rebate declarando que “nas  Copas do Mundo, a própria Fifa ainda não coloca as mulheres para apitar os jogos. Eu concordo com a entidade, precisa haver uma evolução maior da arbitragem para que isso possa acontecer de forma mais frequente”, justifica. 

Se auto-classificando como uma pessoa sensível e respeitador das conquistas das mulheres, nos mais diversos campos de atuação da sociedade, Jorge Sampaio pontua algumas das iniciativas do clube em prol do sexo feminino. “ Nós investimos caro no futebol para mulheres. Temos uma boa equipe feminina que representa as cores do Vitória, além de sermos um dos poucos estádios com vestiários exclusivo para mulheres”. O vice-presidente ainda conclui indagando: “Como poderia ser machista desse jeito?”. 

Nesta terça-feira, 9, o Vitória entrou com uma representação contra o trio de arbitragem, junto a CBF, queixando-se do gol não confirmado pela assistente Márcia Bezerra. 

Liberação – A situação do lateral-esquerdo Leandro, repatriado pelo Vitória através de empréstimo com o Porto de Portugal, ainda não está totalmente regularizada. 

Para voltar a defender a camisa rubro-negra, o Fluminense, último time pelo qual o jogador atuou, no início deste ano, precisa depositar uma quantia de 100 mil euros para que a equipe portuguesa, dona dos direitos federativos de Leandro, libere o atleta para o Vitória. 

Segundo o jogador “eu sou o maior prejudicado nesta transação toda, pois tenho que aguardar que seja depositado o valor para que possa jogar. Já tenho condição de entrar em campo”, declarou o lateral. 

Nos bastidores, a diretoria do Vitória já contatou a Traffic, que possui vínculos tanto com o rubro-negro baiano como com o Fluminense do Rio, para que a dívida seja sanada através da empresa de mídia esportiva. 

O lateral Luciano Almeida e o atacante André Luís foram oficialmente dispensados do Vitória. A diretoria resolveu se desfazer dos atletas por não estarem mais nos planos. André Luís, que é do Cruzeiro, já fechou com o Criciúma. Já Luciano Almeida ainda não tem destino certo.

In http://www.atarde.com.br/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: